Jean Crespin

Jean Crespin

Jean Crespin, filho de Charles Crespin, advogado e membro do Conselho de Artois, e é educado como um burguês de família rica, nasceu em Arras e estudou Direito na Leuven . Em 1540, ele estava em Paris, onde trabalhou com seu amigo François Baudouin sob o jurista líder e advogado Charles Du Moulin, e tornou-se o próprio advogado no Parlamento de Paris . Tornou-se interessado nas doutrinas da Igreja Reformada e quando ele voltou a Arras, suas relações com os protestantes levaram-no a ser tratado como um herege.


Em 1545 ele foi para Estrasburgo, onde se casou com Martha Bourgoing, filha do Pastor François Bourgoing, de quem tem um filho Samuel. Em 1548, mudou-se para perto de seu amigo John Calvin e Theodore Beza (Théodore de Bèze - 1519-1605), com sua família estabeleceu-se em Genebra, onde adquiriu uma prensa tipográfica. Em 1555 ele recebeu a cidadania lá. Morreu em Genebra, em 1572.






EM 1546, 14 homens de Meaux, França, foram declarados culpados de heresia e condenados a ser queimados vivos. Por quê? Eles se reuniam nas casas para orar, cantar salmos e celebrar a Ceia do Senhor, e afirmavam que nunca aceitariam “idolatrias papistas”.

No dia da execução, o professor católico-romano François Picard confrontou os condenados com perguntas sobre o que eles acreditavam a respeito da Ceia do Senhor. Ao responderem, eles questionaram Picard sobre o ensino católico da transubstanciação, que afirma que o pão e o vinho usados nessa celebração se transformam milagrosamente na carne e no sangue de Jesus. Eles perguntaram: “Será que o pão tem sabor de carne? Ou o vinho, sabor de sangue?”

Apesar da falta de argumentos de Picard, os 14 foram amarrados em estacas e queimados vivos. Os que não tiveram a língua arrancada cantavam salmos. Padres que assistiam à execução tentaram abafar a voz deles por cantar mais alto. No dia seguinte, no mesmo lugar, Picard anunciou que os 14 estavam condenados ao tormento eterno do inferno.


No século 16, a Europa era um lugar perigoso para quem ousasse discordar da Igreja. Muitos que questionavam as doutrinas consagradas da Igreja sofriam horrores às mãos de seus opositores religiosos. Uma fonte de informações sobre esse tratamento cruel é o livro Le Livre des martyrs, de Jean Crespin, publicado em Genebra, Suíça, em 1554. Também é conhecido como Histoire des martyrs.

Obras

Assim como outros impressores e editores do seu tempo, também escreveu e compilou livros, sendo o mais famoso seu martirológio, agora popularmente conhecido como o Livre des Martyrs. Este passou por várias edições entre 1554 e 1570, sob uma variedade de títulos.Uma tradução de um título da obra de Crespin é o Livro dos Mártires, isto é, uma coletânea de vários mártires que morreram em nome de Jesus Cristo, desde Jan Hus até este ano, 1554, várias edições revisadas e ampliadas com títulos e conteúdos diferentes foram publicadas durante a vida de Crespin, e outras, após sua morte.

Le Livre des Martyrs (Genebra, 1554)
Recueil de plusieurs personnes qui ont constamment suportar la mort pour le nom de NSJC depuis Jean Hus jusqu'à cette année présente 1554 (1555);
Troisieme partie du Recueil des mártires (1556)
Quatrieme partie des Actes des Martyrs (1561)
Cinquieme partie des actes des Martyrs (1563)
Actes de Martyrs (1564)
Histoire des vrays témoins de la vérité de l'Évangile depuis Jean Hus jusqu'à présent (1570).
Le Marchand Converti, tragédie nouvelle (1558)



Please connect with me - I'm always happy to befriend.
(Caso queira conectar-se comigo, estou sempre feliz em ajudar.)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...